.posts recentes

. "Palavras para quê"

. "O melhor do mundo são os...

. Vale a pena pensar nisto

. Filhos de pais em guerra

. "Mudar é bom"

. "O amor veio para ficar"

. Parabéns Ritas

. "Quem é vivo sempre apare...

. Uma casa portuguesa

. "Play sempre"

.arquivos

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

Domingo, 3 de Maio de 2009

Sri Lanka, tão longe de mim

"Voltámos para Colombo algumas horas depois. Exausto e a pingar suor, precisava de tomar um duche quente e descansar. Mas não conseguia deixar de pensar nas pessoas presas na zona de conflito, suportando os horrores da guerra em condições calamitosas". Excerto de notícia, no jornal público de 02 de Maio - Sri Lanka.

 

Deixo aqui estas palavras escritas por um jornalista que não se conseguiu despir totalmente no seu banho, porque a sua mente estava habitada pelo sofrimento das gentes que viu, gentes que não podem virar costas e tomar simplesmente um banho descansado. Achei graça a estas palavras porque representam a globalidade de viveres, a discrepância de sentires de uns e de outros. Uns vivem compassadamente os seus dias, pensam no que amanhã vão vestir, no que farão amanhã para o jantar, que esta semana tentarão ir mais vezes à ginástica, pessoas que pensam que destino dar ao subsídio de férias e ao IRS, caso seja caso disso. E outros vivem desesperadamente para que a sua existência marque horas e segundos no dia a seguir, aqui não há tempo para pormenores, é tempo de lutar para sobreviver. Por isso, muitas vezes penso que fui bafejada pela sorte, nasci num país democrático, sem guerras, com oportunidades, com espaço para que a minha vida possa desabrochar em pleno.    


publicado por teladosentir às 20:58

link do post | comentar | favorito
|

2 comentários:
De Maria de Jesus a 7 de Maio de 2009 às 23:33
Muitas vezes penso que me deveria sentir privilegiada e feliz com o que tenho, e que é tanto mais do que outros têm: Vivo longe da guerra, (embora já tenha sentido os seus efeitos e a sua agressão directa), tive a possibilidade de estudar e tenho o suficiente para viver com algum conforto. Porque não consigo deixar de dar prioridade ao meu “cantinho” e de considerar a minha condição de ser individual, há tanto mais que me causa sofrimento e insatisfação! Sinto ainda que nada é garantido e que a segurança de hoje pode a qualquer momento ser quebrada…
Decididamente, hoje estou muito negativa! Foi um mau dia para comentar a sua bela e positiva reflexão.
Um beijinho e até breve.


De rosafogo a 9 de Maio de 2009 às 17:32
Vá lá saber-se o porquê ?!
Na verdade pouca importância se dá ao que se tem.
E passsamos a Vida a pensar que não saímos da cêpa torta. Quanto a mim sinto-me impotente para fazer seja o que fôr, mas não se passa um dia que não pense nessa parte do Mundo, onde se morre de fome e onde nem têm paz para morrer.
Difícil compreender!?
Será só culpa dos homens? Ou esquecimento de Deus?!

Beijinho grande


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.tags

. todas as tags