.posts recentes

. "Palavras para quê"

. "O melhor do mundo são os...

. Vale a pena pensar nisto

. Filhos de pais em guerra

. "Mudar é bom"

. "O amor veio para ficar"

. Parabéns Ritas

. "Quem é vivo sempre apare...

. Uma casa portuguesa

. "Play sempre"

.arquivos

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

Terça-feira, 11 de Agosto de 2009

"O amor veio para ficar"

Tenho dado férias às palavras mas o bichinho cá está, não muda de casa porque não o deixo. Penso e, isto não tem muito a ver com as férias das palavras, mas quando vejo na televisão séries que retratam a realidade hospitalar e em concreto das urgências, fico completamente invejosa, se me permitem, dos médicos e enfermeiros que em altura de crise balbuciam e pensam rapidamente naquilo que tem que ser feito para salvar aquela vida, tudo isto de forma veloz com voz igualmente veloz. Fico roídinha de ciúme por tamanha competência numa hora de aperto, destreza de raciocínio, as palavras que estão na ponta da língua, a solução que mora na ponta da língua. Era mesmo bom que logo ali na hora tudo me saísse assim, resposta certa, conduta certa, suor e aplausos no final com nota máxima e passagem com distinção. Mas habituei-me, a que se não me sair bem à primeira, limo as arestas. Aprendi a não ficar muito chateada comigo mesma, porque melhor podemos sempre fazer e a fazer é que a gente se entende, como quem diz aprende, ou como quem diz a fazer menos bem. E pronto passo para o amor, deixando aqui um bem haja ao Fernando Pessoa vestido de Alberto Caeiro, que diz que o amor é uma companhia, que com ele os caminhos deixam de ser bravados de forma só, e que mesmo na sua ausência nos sentimos acompanhados. Porque quem ama e é amado não se sente só, nem mesmo a morte consegue separar ou apagar... o amor fica.


publicado por teladosentir às 20:14

link do post | comentar | favorito
|

8 comentários:
De Maria de Jesus a 13 de Agosto de 2009 às 00:37
Concordo com quase tudo, até mesmo com o “quem ama e é amado não se sente só " mesmo na ausência do ser amado. Contudo interrogo-me se “o amor fica” depois da morte. Diria antes que pode ficar mas esbate-se com o tempo.
Já não nos encontramos antes de férias. Vou embora no próximo Domingo e entretanto não vou a Lisboa.
Beijinhos e boas férias!
Até Outubro


De rosafogo a 15 de Agosto de 2009 às 23:36
O amor, aquele que é verdadeiro, só a morte separa.
Mas fica a lembrança que magoa e só o tempo fará o milagre de a ir curando. Como é bonito ouvi-la falar
de Amor, tem sempre a palavra certa, neste ou noutro assunto.
Querida esta menina, que nos dá serenidade, no seu dizer, com seu sorriso, na sua sinceridade, como eu
gosto tanto dela!

beijinho,bom fimde semana, e tudo a sorrir-lhe
natalia


De rosafogo a 28 de Agosto de 2009 às 01:18
Passo para deixar um beijinho e desejar que fique bem. Logo nos veremos, falta pouco. Verdade?

Um grande abraço com saudade
natália


De rosafogo a 10 de Setembro de 2009 às 00:32
Para a menina Rita, não pense que a esqueci,
não e em breve estaremos juntas, entretanto passei para lhe deixar um beijinho cheio
de saudade

beijo
da amiga natalia


De rosafogo a 10 de Outubro de 2009 às 01:53
Para a menina um bom fim de semana.
Já tenho imensa saudade, mas estive malzita dos meus interiores e não deu para ir passear, agora no próximo aí sim espero...

Beijinho com muito carinho
natalia

Bom fim de semana


De mg_criacoes a 19 de Outubro de 2009 às 21:44
E que tal actualizares este cantinho?
Sempre que venho aqui, bato com o nariz na tela...isto não se faz!


De Maria de Jesus a 30 de Outubro de 2009 às 09:31
Pois é! sinto a falta desta escrita tão bela e creativa!Peço mais!
Beijão


De sr toni a 9 de Julho de 2015 às 00:51
a tela do sentir não tem sentido renovação.

ESTE É O MEU GRITO DE PROTESTO.

Poema inédito

venham as noites
de longas insónias,
sem pestanejar
venha a imaginação e a soltura das palavras
como cavalos loucos
digitando letras e letras,
desenhadas no monitor,
em forma de poema,
ao ritmo do pensamento
veloz e enraivecido
- até que o sol que teime em nascer -
terminar enfim
num poema de volúpia.

Venham as noites de insónia,
embriagando a celebração
do viver, do existir e do sentir
na realidade da tela da vida.

9 jul 2015


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.tags

. todas as tags